Ana Stoppa - Escritas, Versos & Reversos

Se não puder alcançar as estrelas agradeça a Deus por vê-las. (Ana Stoppa)

Textos


 Que Fica Na Alma Gravado

O que fica na vida que Deus nos empresta?
Nos corações os momentos de felicidade, as histórias que jamais se apagarão...
Instantes em que a alegria descompromissada reabriu todas as portas da distante infância...
Os apertos de mãos, a troca de olhares, as palavras ditas no silêncio...
Os cuidados que muitas vezes se oculta atrás de um tímido e jamais ouvido, eu te amo...
O descompassar dos corações quando se entregam às emoções...
A brisa que corre solta na imensidão do oceano...
Os sonhos transformados em realidade, e até mesmo aqueles que foram somente sonhados...
Tantas coisas boas ficam, que de repente muitos corações passam a viver apenas do passado...
Fica a certeza de que os dias são por demais velozes quando se tem um sonho para sonhar, ou entediantes quando não se tem a quem o amor entregar...
Ficam os aniversários festejados de forma única, os presentes, as canções, as surpresas, a dedicação e o carinho, seiva capaz de reavivar as emoções em corações às vezes endurecidos pelas quedas....
Quantas coisas boas, quantos sentimentos somos capazes de emanar...
Em cada porto, deixamos um pouco de nós para dar espaço ao que recebemos de outros corações....
E assim nasce a felicidade, a alegria, o amor, e a saudade que se faz presente nas pequeninas grandes coisas...
Uma canção, o cheiro de pão, o beijo inesperado, a chuva que cai, o calor do leito, o abraço perfeito...
As flores sempre serão são infinitamente maiores do que os espinhos...
A escassez ou os excessos matam...
Extremos não se alinham com sintonia, encanto, respeito, admiração, esperança e compreensão...
Por mais que se percorra a estrada, as pessoas raramente se revelam fortes o suficiente para lidar com os rompantes, as explosões, as críticas, a rejeição, o desamor e o desrespeito revelado pela indiferença, a falta de atenção, a escassez de abraços, os carinhos não retribuídos – aqueles recebidos como meras folhas secas movidas ao sabor dos ventos.
E de repente, o encanto perece, a esperança desanda, sentimentos se esvaziam...
Alguns com apenas um copo com água compreende que tem em mãos o oceano, outros, movidos por uma sede insaciável são incapazes de encontrar o equilíbrio nas relações...amores que se esvaziam...vidas que se tornam robóticas, sem sentido, desbotadas....
Cada coração tem sempre dois caminhos para seguir.
Porém, muitos simplesmente não desejam nenhum deles.
Todos possuem o livre arbítrio, mas tudo o que se semeia se colhe, outros escolhem, uns poucos recolhem.
Mas, o bom ator sabe sempre o momento exato de deixar o palco, independente das vaias ou dos aplausos, 
Sigamos a luz – do entendimento, da espiritualidade, da resiliência, do amor desmedido e da compreensão, para que quando a saudade bater à porta possamos compreender que se ela existe, se nos remete a algo que nos fez extremamente felizes é porque um dia vivemos, amamos e fomos amados, de forma intensa e plena, e isso que fica na alma gravado.


Ana Stoppa
Ana Stoppa
Enviado por Ana Stoppa em 29/09/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Viver é bem mais que existir!